As roupas típicas utilizadas pelos dançarinos na Expoflora têm origem na região de Volendam, no norte da Holanda. Conheça as origens e curiosidades sobre tamancos, o kraplap e o klepbroek aqui!
Kraplap

Por estes dias eu me deparei com um post que fiz sobre o dia do poeta, onde publiquei um trecho de um poema de Cecília Meireles. Ela viajou para os Países Baixos na primavera de 1951, quando ficou por 2 semanas. Durante sua estadia, e mesmo anos mais tarde, escreveu sobre a arquitetura, os canais, as flores e as pessoas.

Na parte III. “Paisagens com figuras”, do poema intitulado “Desenhos da Holanda”, Cecília descreve os holandeses:

“As toucas de renda,

As pesadas saias franzidas,

Preto, encarnado, azul,

Tarde de domingo na ilha de Marken.”

Cecília Meireles escreveu sobre os trajes típicos durante sua viagem aos Países Baixos.

O que me fez lembrar de uma curiosidade: você sabia que as roupas que utilizamos na dança folclórica holandesa, apresentada na Expoflora, são baseadas nos trajes típicos desta região? Pois é! E como eles são compostos?

É importante ressaltar que os Países Baixos possuem 12 províncias e, cada uma, tem suas vestimentas tradicionais. O tipo de vestido mais conhecido, entretanto, considerado o traje nacional, veio justamente do sul da província de Volendam (ao lado de Marken) e ainda é usado pelas mulheres holandesas para apresentações aos turistas.

Os trajes originais, na Província de Volendam, Holanda. (Foto: Zwarthoed)

As roupas femininas são compostas de blusa, saia, avental e um adorno na cabeça, carinhosamente por nós apelidado de “chapeuzinho”. Uma peça bastante característica é conhecida como kraplap, que é uma peça retangular utilizada na parte da frente e de trás do peito. Originalmente, o kraplap pertencia à roupa interior e não despertava a atenção. Em Volendam, o kraplap é coberto por uma blusa e adornado com bordados de flores.

Olha eu aí, vestida de holandesa, dançando na Expoflora! (Foto: arquivo pessoal)

Já as vestimentas masculinas, eram bastante simples: calça, blusa e chapéu. A peça masculina mais famosa é o klepbroek, que, ao invés de zíper, possui uma peça de tecido que serve para tampar a abertura frontal da calça.

As calças masculinas possuíam o “klepbroek”

Nos pés, os icônicos tamancos finalizam o visual. Feitos em madeira e entalhados à mão, eles eram perfeitos para o solo pantanoso das terras baixas que compunham os campos daquela área. O segredo para usar os tamancos está nas meias de lã, que ajudavam a aquecer os pés e protege-los do frio nórdico. Por aqui, as meias tem mais a função de amenizar o atrito provocado pela madeira com os pés dos dançarinos.

Os tamancos de madeira são os que mais chamam a atenção! (foto: arquivo pessoal)

Obviamente, eu jamais chegarei a descrever os holandeses e seus trajes tão bem como fez Cecília Meireles. Por isso, sugiro que você leia a obra “Doze Noturnos da Holanda” e descubra, você mesmo, toda beleza por trás de cada palavra utilizada por ela nesses poemas.

#ficaadica

Deixe seu comentário

Você também pode se interessar por...

Inscreva-se na minha Newsletter

Fique por dentro de tudo o que acontece na Cidade das Flores!

Rolar para o topo