Acompanhe como foi a retomada do Turismo em Holambra após a reabertura para o Turismo.
Casal no coração do deck do amor em Holambra

A Pandemia trouxe muitos desafios a todos os setores e, claro, o turismo foi um dos mais afetados. Restaurantes ficaram fechados, pessoas pararam de viajar e por aí vai. Empresas tiveram que se reinventar, usar a criatividade para sobreviver ao último ano. Por mais que tenham sido tempos difíceis, Holambra já se recuperou da crise, em contramão ao que acontece em muitas outras estâncias turísticas.

Os números não mentem: o Moinho Povos Unidos vinha registrando um crescimento exponencial desde que abriu e não foi a pandemia que impediu essa ascensão. Fomos de 8 mil visitantes em 2015, para 45.500 em 2019. Em 2020, o Moinho ficou fechado por seis meses, e, mesmo assim, registrou 22 mil pessoas. O movimento cresceu e, novamente, obtivemos recorde de visitação em 2021: o ano nem terminou e já acumulamos quase 60 mil turistas.

Visitantes fazem fila para conhecer o Moinho de Holambra. (Foto: arquivo pessoal)

Eu, que faço o mapa turístico desde 2015, observo o crescimento da cidade. A cada nova edição, distribuída sempre nos meses de junho e dezembro, aumentam o número de empresas participantes e a quantidade impressa. Fomos de 20 mil unidades/ano para 80 mil em 2021. E faltou material. A nova remessa deve chegar ao trade em volumes que ultrapassam as 100 mil unidades/ano.

O mapa turístico e demais guias fazem sucesso entre os turistas da cidade. (Foto: arquivo pessoal)

Com relação às empresas, o destaque vai para a gastronomia. No último semestre, demos as boas-vindas ao De Dam, Divina Terra, Lago do Holandês, Camanducaia Company, Guirlanda, De Molenbar, De Pizza Bakker, Açaí Bella Fruta e logo o Villa Girassol deve ser inaugurado. Isso, se eu não esqueci de mencionar alguém.

Sempre gosto de prestigiar as empresas da cidade! (Foto: arquivo pessoal)

Com a volta à fase amarela, em setembro do ano passado, vimos um novo fenômeno acontecer na cidade: as excursões vieram, mesmo sem a Expoflora, e continuaram vindo nos meses seguintes, porque finalmente entenderam que temos turismo o ano inteiro. Tivemos, inclusive, que dar uma pausa, após recebermos mais de 70 ônibus no final de semana do dia dos namorados, para nos reorganizar. Aí, em agosto, a Prefeitura publicou um decreto que regulamenta a entrada e circulação destes veículos na cidade – uma medida necessária para o controle do crescimento sustentável da atividade em Holambra.

Ônibus de excursão passando pelo controle de acesso no Grande Portal Turístico. (Foto Giovane de Souza Pereira)

Ademais, finalmente voltamos a receber verbas do DADE (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento de Estâncias), que foram suspensas por dois anos consecutivos. O primeiro projeto, que já está sendo discutido com o COMTUR (Conselho Municipal do Turismo), é a revitalização da Praça dos Pioneiros, na expectativa de ampliar o corredor turístico da Al. Maurício de Nassau – a primeira iniciativa para desafogar os polos turísticos formados na região dos guarda-chuvas coloridos e do Moinho.

A casa dos primeiros presidentes da Cooperativa Agropecuária Holambra está prevista para ser reformada com os novos recursos destinados à cidade. (Foto: arquivo pessoal)

Como é de se esperar, Holambra continuará crescendo forte e depressa. No último ano, tivemos a abertura do Bloemen Park e da Macena Flores aos visitantes, que já registram um movimento excepcional. O hotel Royal Tulip, a ser inaugurado no começo do ano que vem, também anuncia uma nova era no turismo de Holambra, que consolida a atividade como uma das principais dentro do setor de serviços no município. O turismo é um fato, sem volta. Aproveitar as oportunidades que ele traz, uma escolha. O que você planeja para 2022?

Feliz ano novo!

Deixe seu comentário

Você também pode se interessar por...

Ivonne

Ivonne

Antes de mais nada, apaixonada por Holambra! Mas também moradora, turismóloga & empresária.

Posts Recentes

Tá rolando...

Inscreva-se na minha Newsletter

Fique por dentro de tudo o que acontece na Cidade das Flores!

Rolar para o topo