Aniversário do Moinho: 13 razões para comemorar!

Fui convidada a escrever uma matéria para o Jornal da Cidade de Holambra, cujo tema era o aniversário do Moinho. Para minha surpresa, a matéria saiu na capa do jornal e recebeu três páginas! Imagina a minha felicidade! Rsrs

Compartilho, então, a matéria na íntegra, com algumas fotos exclusivas, sobre esses 13 anos de história. Boa leitura!

Capa do Jornal da Cidade, com matéria sobre os 13 anos do Moinho Povos Unidos.

Na última segunda-feira, dia 12 de julho, o Moinho Povos Unidos completou mais um ano desde a sua inauguração. Em meio a esta interminável pandemia, não foi possível celebrar o aniversário a altura de suas conquistas.

Entretanto, motivos não faltam para comemorar. Foram tantas vitórias alcançadas ao longo destes últimos anos, que já nos faltam dedos nas mãos para enumerar. E nada melhor do que um momento como esse, para trazer à tona os 13 motivos pelos quais estamos tão felizes!

Moinho Povos Unidos, o maior cartão postal de Holambra!

Razão no 01: O simples fato de termos um moinho por aqui, já é um motivo para comemorar. As parcerias firmadas entre a Cooperativa, a Prefeitura e os moradores é que realmente tornaram possível a concretização deste sonho. Esse é o espírito de Holambra, que a torna tão especial.

Aperto de mão entre Jan Heijdra, arquiteto holandês que desenhou o moinho, e um dos colaboradores brasileiros que o construiu.

Razão no 02: Foi apenas em 2015 que a Associação Povos Unidos finalmente firmou um Termo de Colaboração com a Prefeitura, passando a gestão do monumento para ela.

Um moinho não é apenas um ponto turístico, para se tirar fotos e postar nas redes sociais. Ele exige manutenções constantes, que apenas os profissionais sabem fazer. Para colocar em funcionamento então, só sendo moleiro! Daí a importância de colaborarmos uns com os outros.

Assinatura do Termo de Colaboração entre o então prefeito, Dr. Fernando Fiori, e os representantes da Associação Povos Unidos.

Razão no 03: Muitos voluntários já passaram pelo nosso moinho. Alguns estão lá até hoje. Entre eles, os nossos moleiros. E peço licença aos demais parceiros, para nomear os sete pioneiros, que seguem desempenhando esta importante tarefa: Tony Hulshof, Gilberto Wigman, Josef Eltink, Flores Welle, Jan Eltink, Theo Koedolder e Guus Stoltenborg. Que todos os nossos voluntários sintam-se homenageados neste momento.

Da esquerda para a direita: Theo koedooder; Tony Hulshof; Gilberto Wigman; Joseph Eltink; Jan Eltink; Guus Stoltenborg; Flores Welle.

Razão no 04: Sempre soubemos da importância de termos colaboradores engajados em nossa causa. Mas é em momentos como este em que estamos vivendo, que percebemos o quanto isso é verdade. Na ausência dos moleiros, afastados contra sua vontade por pertencerem ao grupo de risco, nossa equipe dá show. Eles fazem o atendimento aos visitantes, explicam o funcionamento do moinho, contam histórias que aprenderam com os moleiros, cuidam da venda dos ingressos e dos produtos da lojinha entre muitas outras coisas. O verdadeiro valor do moinho não está na sua beleza ou magnitude, mas nas pessoas que o tornam grande.

Equipe do moinho em treinamento, para melhor atender nosso visitante.

Razão no 05: Entre tantas coisas que fizemos nestes últimos anos, a manutenção teve um papel central nessa história. Após ficar sete anos sem nenhum tipo de manutenção, encontramos o moinho num estado lamentável. Felizmente, tudo foi consertado a tempo de não comprometer a estrutura.

Moleiros fazendo a troca da vedação do deck em um dos mutirões que fizemos.

Razão no 06: Quando o fluxo de caixa começou a melhorar, partimos para a implementação de melhorias, das quais podemos destacar a compra de móveis e equipamentos, implantação da lojinha, entre outros.

Reunião de apresentação das propostas de remodelação dos andares para os membros da Associação Povos Unidos.

Razão no 07: A segurança dos visitantes e da nossa equipe sempre foi a nossa prioridade. No ano passado, conseguimos terminar o projeto de combate a incêndio, garantindo ainda mais segurança aos visitantes, colaboradores e do prédio em si.

Visita do atual Prefeito, Fernando Capato, e sua equipe ao moinho. Nesta foto, conhecendo o sistema de combate a incêndio.

Razão no 08: O moinho conta com apenas três fontes de receita: uma subvenção da Prefeitura, a venda de ingressos e a comercialização dos produtos de nossa loja. Não fossem as doações, especialmente no início, talvez não tivéssemos conseguido realizar tantas coisas.

O móvel da recepção foi adquirido através de doação.

Razão no 09: Os números referentes à quantidade de pessoas que visitaram o moinho refletem o que nós temos observado pela cidade: um crescimento constante e exponencial do turismo. A cada ano que passa, praticamente dobramos a quantidade de visitantes. Saímos de oito mil em 2015, para mais de 46 mil em 2019. Se não tivéssemos fechado as portas por meio ano, 2020 poderia ter sido um ano ainda melhor. Em 2021, mesmo com a restrição à entrada de ônibus, já somamos mais de 20 mil pessoas somente no primeiro semestre.

Fila para entrar no moinho, num dia de bastante movimento.

Razão no 10: Quando nos deparamos com tais números, constatamos um fato: a consolidação do Moinho Povos Unidos como o maior atrativo turístico da cidade.

Linda vista aérea do maior cartão postal de Holambra.

Razão no 11: Não há como ignorar a tendência mundial da sustentabilidade. Não é marketing, e sim consciência de que devemos fazer a nossa parte. O primeiro passo já foi dado: substituímos os ingressos impressos por bilhetes eletrônicos. Pouco a pouco, traremos mais novidades.

Catraca de acesso ao moinho.

Razão no 12: O relacionamento entre os diversos conselhos municipais (ex: COMTUR), prefeitura e o moinho, nos permite trabalhar alinhados às estratégias em pauta no turismo.

Reunião do COMTUR, onde discutimos ações para o turismo.

Razão no 13: O futuro do nosso moinho, assim como de Holambra, depende de muitas variáveis.

Sendo nosso atual prefeito, membro da Associação Povos Unidos, bem como de família hoteleira, acreditamos que poderemos continuar contando com uma gestão cuidadosa e prudente, que vise não apenas o turista, mas prioritariamente, o morador de Holambra. Se tivermos orgulho de morar aqui, certamente nossos turistas serão bem recebidos.

A depender de nós, continuaremos esforçando-nos para fazer o melhor possível. Contaremos sempre com a colaboração de todos para ajudar-nos nesta missão. Assim, continuaremos sonhando alto para que, em 2022, tenhamos ainda mais motivos para comemorar!

Momento em que a Cápsula do Tempo estava sendo preparada para ser fechada. Neste tubo, estão mensagens que só poderão ser lidas 100 anos após seu fechamento, que ocorreu em 2008. Como será que o moinho estará neste dia?

Para endereço, horários de funcionamento e valores do moinho, clique aqui:

Curtiu? Então compartilhe!

Share on facebook
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Ivonne de Wit

Ivonne de Wit

Idealizadora do Portal de Holambra, o mais completo e atualizado portal de informações turísticas de Holambra. É nascida em Holambra e descendente de holandeses. Formada em turismo, atua na área desde 2002. Leia mais sobre a autora...

2 pensou em “Aniversário do Moinho: 13 razões para comemorar!

  1. Parabéns pelo trabalho Ivone. Muito bom ler um texto onde se explica como foi e como eh no moinho. Mesmo para nós moradores que vemos todo dia, mas não temos ideia do trabalho q dá!!

    1. Pois é! E nós, que estamos nos bastidores, normalmente esquecemos de contar… rsrs Aproveito para fazer o convite para vc vir nos visitar! Obrigada pelo carinho!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Piet Schoenmaker na Expoflora com o Tulipão

O Legado de Piet Schoenmaker

O eterno garoto-propaganda da Expoflora, Piet Schoenmaker, deixou um legado para a nossa à cidade e uma saudade imensa em nossos corações.

Rolar para o topo