Aproximadamente 3 milhões de pares de tamancos ainda são produzidos por ano nos Países Baixos. Grande parte deles é destinado aos turistas, embora alguns holandeses ainda os utilizem no seu dia a dia.
Casal utilizando tamancos holandeses

Sempre que meu pai quer ir embora de algum lugar, ele nos chama e pergunta “vamos levar o carro para casa?”. Talvez ele não saiba, mas, um dia desses, acabei descobrindo que a versão original desta expressão é “Ik ga de klompen thuisbrengen”, que seria o equivalente a “eu vou levar meus tamancos para casa”. O que me inspirou a escrever o texto de hoje.

Tamancos de madeira já não são novidade para ninguém, aqui em Holambra. São utilizados há mais de 30 anos nas danças folclóricas holandesas, durante a Expoflora, e vendidos como souvenir aos nossos turistas, sejam eles na versão original, em madeira, de cerâmica ou até mesmo feitos com o bagaço da cana.

Tamanquinhos feitos em porcelana do tipo Delfts Blauw, à venda na Casa Bela Presentes. (Foto: arquivo pessoal)

Apesar do que se imagina, os primeiros tamancos não surgiram na Holanda. Na Idade Média, já eram vistos pela Europa Central e Ocidental, sendo utilizados principalmente por trabalhadores e agricultores.

Além de uns poucos achados arqueológicos, que remontam ao ano de 1230, quase não há registros destes sapatos por aí. E existe uma razão para isso. Segundo Bart de Pau, “os tamancos geralmente eram jogados no fogo quando estavam gastos. Tornando este não só um calçado ideal, mas também um combustível extra para aquecer a sua casa. Novamente, somos um povo econômico. A desvantagem disso é que torna difícil para os historiadores rastrear nossas origens”.

Primeiro tamanco encontrado na Holanda. (Foto: Museum Rotterdam)

O que se sabe, porém, é que ele se popularizou por ser um sapato barato, que protege os pés daqueles que os utilizam, do frio e da umidade, chegando a ser oficialmente credenciados como calçados de segurança – com a marca CE – por poderem suportar quase qualquer penetração, incluindo objetos pontiagudos e ácidos concentrados. Quem diria?

Estes sapatos podem ter formatos e cores diferentes, de acordo com o uso ou ocasião. Existem tamancos de ponta redonda e os pontiagudos. Eles podem ser envernizados ou pintados com cores diversas. Há ainda os entalhados, mais nobres, antes utilizados, entre outros, por noivas em seu dia de casamento.

Fábrica de tamancos na Holanda, já mecanizada. (Foto: Bas de Meijer)

A fabricação dos tamancos era feita, até 1920, artesanalmente. Após esta data, máquinas foram introduzidas para agilizar o laborioso processo, facilitando, inclusive, que ambos os pés de um par ficassem simetricamente idênticos.

Aproximadamente 3 milhões de pares de tamancos ainda são produzidos por ano nos Países Baixos. Grande parte deles é destinado aos turistas, embora alguns holandeses ainda os utilizem no seu dia a dia. Outra parte, não menos importante, é enviada ao Brasil, para abrilhantar as apresentações holandesas na Festa das Flores.

Deixe seu comentário

Você também pode se interessar por...

Ivonne

Ivonne

Antes de mais nada, apaixonada por Holambra! Mas também moradora, turismóloga & empresária.

Posts Recentes

Tá rolando...

Inscreva-se na minha Newsletter

Fique por dentro de tudo o que acontece na Cidade das Flores!

Rolar para o topo